Impressões demo Duke Nukem Forever

Primeiramente gostaria de agradecer ao nosso colaborador Felipe Neiva, fã incondicional de Duke Nukem, que teve acesso ao demo e se dispôs a escrever um mini review com suas impressões para o 1PGames.

A demo de Duke Nukem Forever foi disponibilizada no dia 3 de Junho (pasmem, na data anunciada), nesse dia no site da Gearbox foi tirado o fórum e colocada uma imagem de Duke Nukem Forever com um contador soltando de vez em quando algumas frases engraçadas de Duke, como “vocês estão fazendo meu jogo e não conseguem sequer deixar um simples fórum no ar?” e quando o contador zerou o download da demo foi liberada, com aproximadamente 1.4GB.

A demo é, muito provavelmente, a mesma que foi utilizada há um ano atrás na demonstração da PAX. Isso significa que não tem nada que já não tenha sido visto em vídeos, e com certeza deve ser uma versão muito anterior a final, com bugs e outros problemas corriqueiros de uma versão preliminar.

Uma das coisas que que não estavam na demo, e que me incomoda, é a voz de Duke anunciando qual foi a dificuldade escolhida ( piece of cake, let’s rock e come and get some), é apenas um detalhe, mas é  um detalhe característicos dos jogos das série.

Um dos pontos fortes do game é a interatividade de Duke com o cenário, pode-se interagir com quase tudo. Na primeira fase, por exemplo, é possível desde utilizar os mictórios, torneiras e secador, até pegar um pedaço de cocô de dentro da privada (com direito a mais um bordão do Duke) e arremessá-lo, de forma que ele se espatifa na parede, e muitos dos itens do cenário são destrutíveis também.

Como de praxe em qualquer jogo da franquia, o humor em Duke Nukem Forever é um um espetáculo a parte, Duke solta um bordão atrás do outro, com estilo, de forma que o jogador vai acabar rachando o bico no meio de uma batalha frenética contra alienígenas.

Quanto as armas, as clássicas estão presentes, e na demo podemos utilizar as pipe bombs, a ripper (também conhecida como chaingun), a clássica shotgun, o shrink ray e a RPG, entre outras, e o design de todas esta muito bom, lembrando realmente as versões de Duke Nukem 3D original.

O gráfico do game esta caprichado, lembrando ligeiramente alguns traços de Borderlands, que também é produzido pela Gearbox.

Um outro ponto positivo de Duke Nukem Forever é a presença de vários easter eggs no cenário, quem é fã das antigas de Duke com certeza vai passar um bom tempo identificando as piadas e as “trolladas” espalhadas pelos cenários do jogo.

Ao longo do jogo encontramos alguns bug’s, como metade do corpo de um soldado atravessado por uma parede ou soldados que estavam andando um de frente pro outro, colidiram, e ficaram andando um com a cara no outro por aí, além disso algumas vezes o gráfico ficava estranhamente granulado sem mais nem menos. Como dito antes, esse review foi baseado na versão demo do game, portanto é bem provavel que a ver são final seja bem diferente, e tenha todos esses problemas corrigidos.

Outro ponto que vale a pena citar é o esforço da produtora em tornar Duke Nukem Forever um jogo que fosse apreciado tanto pelos jogadores mais tradicionais quanto aos novos jogadores de FPS, digo isso por que alguns dos elementos de FPS atuais fora implantados na jogabilidade de Duke Nukem Forever, diferente dos jogos anteriores que Duke tinha uma barra de life que podia aumentar adquirindo health packs, na nova versão do game Duke tem uma barra de ego que é recuperada matando inimigos ou passando algum tempo sem levar dano. Outra mudança feita em Duke Nukem Forever, é que agora Duke só pode carregar 2 armas diferentes, sem contar as pipe bombs, o que deverá deixar os jogadores das antigas um pouco descontentes, visto que antes Duke carregava todo o arsenal do exército no bolso de trás da calça.

Pra quem quiser ver com os próprios olhos, o Meio kilo postou alguns vídeos da demo do jogo.

Imagem de Amostra do You Tube

 

Com gráficos satisfatórios, jogabilidade fluída e todo o carisma de Duke, Duke Nukem Forever tem tudo para ser um ótimo FPS, mas ainda tem o desafio de tirar o gosto amargo de 10 anos de espera pelo game, a partir da demo é possível perceber o esforço da produtora em trazer Duke para seu lugar de direito nos games: a elite do FPS. Se Duke Nukem Forever irá conseguir eu não sei, mas pessoalmente, apenas pelo fato do jogo ser lançado já é motivo para comemorar.

Se você é fã de FPS provavelmente vai gostar do nosso Guia de sobrevivência em Call of a Duty Black OPS

1PGamesO blog de games onde você é o primeiro controle

 

 

Grisa
Gamer desde pivetinho, já passou por situações extremas do mundo gamer, como noites escuras ao volante em River Raid, lutas sangrentas de Street Fighter, disputas com terroristas no Call of Duty e até uma partida infinita de jogo da velha. Se você tem alguma dúvida sobre um jogo, esse é o cara para perguntar.

Tem algo a dizer? Manda ver!